O diabetes é uma condição em que o corpo não produz a quantidade suficiente ou é resistente a um hormônio chamado insulina. Existem vários tipos de diabetes, incluindo tipo 1, tipo 2 e diabetes gestacional.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), 34,2 milhões de pessoas nos Estados Unidos tiveram diabetes entre 2013 e 2016.

Neste artigo, discutiremos os diferentes tipos de diabetes, suas causas e sintomas, como gerenciá-los e se é possível reduzir o risco de ter diabetes.

Diabetes tipo 1

Tomar remédios e fazer mudanças no estilo de vida pode ajudar a gerenciar os sintomas dos diferentes tipos de diabetes.

O Diabetes tipo 1 é uma doença autoimune que ataca o pâncreas, levando a uma deficiência de insulina.  

Diabetes tipo 1 mais comumente aparece na infância ou na adolescência, mas pessoas de qualquer idade podem desenvolver diabetes tipo 1.

Um artigo de 2017 na Point Care  indica que as pessoas com diabetes tipo 1 representam de 5 a 10%  das pessoas com diabetes.

Causas

O Diabetes tipo 1 se desenvolve devido a uma reação autoimune. Isso faz com que o sistema imunológico, ou células T, ataquem e destruam células produtoras de insulina no pâncreas. Isso significa que o pâncreas é incapaz de produzir insulina.

De acordo com uma perspectiva clínica de 2017, as pessoas com maior risco de desenvolver diabetes tipo 1 têm marcadores genéticos específicos e células chamadas autoanticorpos que têm como alvo as células pancreáticas.

Cerca de 85-90%  das pessoas que eventualmente desenvolverão diabetes tipo 1 têm pelo menos um tipo de autoanticorpo presente em seu corpo.

Sintomas

Quando uma pessoa tem diabetes, seu corpo não transporta glicose da corrente sanguínea corretamente, resultando em aumento dos níveis de glicose no sangue e urina.

O Diabetes pode causar os seguintes sintomas:

  • aumento da sede;
  • aumento do apetite;
  • maior necessidade de urinar;
  • perda de peso;
  • fadiga.

Fatores de risco

Os fatores de risco podem incluir:

  • Histórico familiar: Ter um pai ou irmão com diabetes tipo 1.
  • Idade: Embora os profissionais de saúde tipicamente diagnostiquem diabetes tipo 1 em crianças, ele pode se desenvolver em qualquer idade.

Tratamento

O tratamento primário para diabetes tipo 1 envolve tomar insulina. O CDC  afirma que pessoas com diabetes precisam injetar insulina todos os dias para controlar os níveis de açúcar no sangue.

É essencial verificar e manter os níveis de açúcar no sangue regularmente. De acordo com o CDC, ter uma quantidade saudável de açúcar no sangue ajudará a prevenir ou retardar complicações relacionadas ao diabetes.

Além de verificar os níveis de açúcar no sangue e injetar insulina, o CDC também ressalta a importância de:

  • ter uma dieta saudável;
  • ser fisicamente ativo;
  • controlar a pressão arterial e o colesterol;
  • ter uma boa noite de sono.
Veja também:  Prevenção do Alzheimer

Diabetes tipo 2

O Diabetes tipo 2 é a forma mais comum de diabetes. Cerca de 90%  das pessoas com diabetes têm tipo 2.

O diabetes tipo 2 mais comumente afeta aqueles com mais de 45 anos. No entanto, mais crianças, adolescentes e adultos jovens estão desenvolvendo diabetes tipo 2 devido a uma variedade de hábitos de vida, como dietas densas de energia e falta de atividade física.

Causas

A resistência à insulina causa diabetes tipo 2. Isso significa que o corpo não responde à insulina que o pâncreas cria. Normalmente, o pâncreas aumenta a oferta de insulina inicialmente, mas com o tempo, reduz a quantidade de insulina que produz.

Quando o pâncreas é incapaz de produzir insulina suficiente, leva a um acúmulo de glicose na corrente sanguínea.

O Diabetes tipo 2 tem uma forte ligação genética. Pessoas pertencentes a grupos étnicos minoritários, por exemplo, afro-americanos e habitantes de algumas ilhas do Pacífico, são mais propensas a ter diabetes tipo 2 do que aquelas com ascendência europeia, de acordo com um artigo de 2018.

Sintomas

O CDC  indica que os sintomas de diabetes tipo 2 podem se desenvolver lentamente ao longo de vários anos. No entanto, muitas pessoas podem não notar nenhum sintoma. Por causa disso, as pessoas que têm algum fator de risco devem fazer um exame de sangue.

Fatores de risco

Os fatores de risco para diabetes tipo 2 incluem:

  • ter pré-diabetes, uma condição em que os níveis de açúcar no sangue são mais altos do que o habitual, mas não o suficiente para ser diagnosticado como diabetes tipo 2;
  • ter obesidade;
  • ter 45 anos ou mais;
  • ter um pai ou irmão com diabetes tipo 2;
  • ser fisicamente inativo;
  • ter tido diabetes gestacional, ou dar à luz um bebê com mais de 4 kg.

Tratamento

Pessoas com diabetes podem gerenciar a condição em casa com o apoio de uma equipe de saúde.

Algumas pessoas também podem precisar de mediação.

De acordo com o CDC, um médico pode prescrever:

  • insulina injetável;
  • outra medicação injetável;
  • medicamentos para diabetes através de via oral.

Esses medicamentos controlam os níveis de açúcar no sangue e ajudam a evitar complicações.

Pessoas com diabetes tipo 2 devem monitorar seus níveis de pressão arterial, açúcar no sangue e colesterol regularmente.

Diabetes gestacional

Gestantes que ainda não possuem diabetes podem desenvolver diabetes gestacional. O CDC indica que 2 a 10%  das mulheres grávidas nos EUA desenvolvem diabetes gestacional.

Veja também:  Colesterol e doença do coração

Causas

A gravidez causa resistência à insulina.

O CDC  afirma que os hormônios e o ganho de peso durante a gravidez fazem com que o corpo use insulina de forma menos eficaz. Isso, por sua vez, causa resistência à insulina, o que aumenta a necessidade do corpo de insulina.

Se o corpo é incapaz de produzir insulina suficiente para compensar a resistência à insulina que a gravidez causa, uma pessoa pode desenvolver diabetes gestacional.

Sintomas

Algumas mulheres com diabetes gestacional não apresentam sintomas. Um médico provavelmente olhará para o histórico médico da mulher e fatores de risco para determinar se uma mulher desenvolverá diabetes gestacional durante a gravidez,

Diabetes gestacional geralmente se desenvolve por volta da 24ª semana de gravidez.

Fatores de risco

Os fatores de risco para diabetes gestacional incluem:

  • ter tido diabetes gestacional anteriormente;
  • ter dado à luz um bebê que pesava mais de 4 kg;
  • ter obesidade;
  • ter mais de 25 anos;
  • ter um histórico familiar de diabetes tipo 2;
  • ter síndrome do ovário policístico (SPC);
  • ser afro-americano, hispânico ou latino-americano, índio americano, nativo do Alasca, havaiano nativo ou ilhas do Pacífico.

Tratamento

O tratamento para diabetes gestacional envolve principalmente fazer mudanças no estilo de vida, como:

  • verificar os níveis de açúcar no sangue;
  • ter uma dieta saudável;
  • ser fisicamente ativo;
  • monitorar o bebê durante a gravidez.

Se essas alterações não gerirem os níveis de açúcar no sangue, um médico pode prescrever insulina, metformina ou outro medicamento.

Prevenção

Embora uma pessoa não possa prevenir diabetes tipo 1, ela pode ser capaz de prevenir o início do diabetes tipo 2. A Federação Mundial de Obesidade sugere que o IMC e a obesidade representam cerca de 60%  do risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Para pessoas com pré-diabetes, perder peso através de restrições calóricas e atividade física reduz em 58% o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Crianças em risco de desenvolver diabetes tipo 2 podem se beneficiar de:

  • ser ensinado como seguir uma dieta saudável e ser fisicamente ativas;
  • mudar o ambiente doméstico e escolar para permitir estilos de vida saudáveis.

De acordo com o CDC, uma dieta nutritiva e equilibrada e participar de atividade física regular antes de engravidar podem prevenir o diabetes gestacional. No entanto, as gestantes não devem tentar perder peso sem falar com um médico ou nutricionista.

Complicações

Diabetes não tratada pode levar a complicações adicionais. Uma delas é a hipoglicemia, que é uma condição em que os níveis de açúcar no sangue caem rapidamente. Isso requer cuidados médicos imediatos.

Veja também:  5 dicas para vencer a batalha contra o estresse, a depressão e ansiedade

Os sintomas da hipoglicemia incluem:

  • Ansiedade;
  • suor, calafrios e tremores;
  • Irritabilidade;
  • tontura e dificuldade de concentração;
  • fadiga;
  • fome ou náusea.

Se uma pessoa não recebe tratamento para diabetes tipo 1, pode levar a:

  • edema cerebral, que é uma condição onde o fluido se acumula ao redor do cérebro;
  • confusão mental;
  • inconsciência;
  • coma;
  • morte.

Outras complicações incluem:

  • infecções fúngicas sob o peito, entre dedos e dedos dos pés, genitais e axilas;
  • glaucoma e catarata;
  • danos nos nervos;
  • doença renal;
  • pressão alta.

Quando ver um médico

É importante consultar um médico se aparecer algum dos sintomas associados ao diabetes. No entanto, muitas pessoas com diabetes podem não notar nenhum sintoma. É fundamental reconhecer os fatores de risco que podem aumentar as chances de uma pessoa desenvolver diabetes. Qualquer um que tenha algum desses sintomas deve ver um médico.

Um médico será capaz de testar diabetes de várias maneiras. Os quatro testes principais são:

  • Teste A1C: mede o nível médio de açúcar no sangue de um indivíduo durante 2-3 meses.
  • Teste de açúcar no sangue em jejum: mede os níveis de açúcar no sangue de uma pessoa depois de jejuar durante a noite.
  • Teste de tolerância à glicose: mede o açúcar no sangue antes e depois de alguém beber um líquido que contém glicose.
  • Teste aleatório de açúcar no sangue: Uma pessoa pode fazê-lo a qualquer momento, sem precisar jejuar.

Resumo

O Diabetes afeta muitas pessoas ao redor do mundo.

Os dois principais tipos de diabetes são o tipo 1 e o tipo 2. Diabetes tipo 1 é uma reação autoimune, que uma pessoa não pode preveni-la. Diabetes tipo 2 é normalmente devido a fatores de estilo de vida, o que significa que uma pessoa pode preveni-lo. Diabetes gestacional é uma forma de diabetes que afeta apenas gestantes.

Existem muitos fatores de risco para diabetes. No entanto, uma pessoa pode controlar o diabetes fazendo mudanças no estilo de vida e tomando medicamentos, se necessário.

É importante tratar a diabetes. Complicações podem surgir se a diabetes não for tratada. Qualquer pessoa que experimente sintomas de diabetes tipo 1 ou tenha quaisquer fatores de risco para desenvolver diabetes tipo 2 ou gestacional deve procurar um médico para um diagnóstico.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.